Yogando com a vida:
¨Um espaço como as nossas vidas, em constante transformação, um espaço para cuidar de tudo que nos cerca pois a vida só faz sentido quando nos orgulhamos dela...¨

Flávia Hernandes Bernini

12/08/2017

Saudades de uma vida normal e anonima

Já faz muito tempo que venho pensando essa questão das exposição na minha vida, fotos, compartilhamentos, check-ins e selfs, já que sim também sou uma viciada nas novas tecnologias
Sou aquela pessoa que consegue, quase que com sucesso absoluto escapar de todas as fotos de família e em grupo e antes que me pergunte não, não sou nenhuma criminosa foragida, simplesmente não sinto essa necessidade de aparecer em todos os registros e lugares que visito, fico feliz com fotos de coisas e lugares e mais ainda em passar algum tempo contemplando o que é belo. Também tomo alguns cuidados, por exemplo só compartilho o que leio e de algum modo, faz sentido para mim
Estamos passando dos limites já faz muito tempo, é quase impossível apreciar uma obra de arte, um concerto ou qualquer coisa interessante sem os incontáveis fotógrafos com seus paus de self e outras parafernalhas à frente, um suplício!
Nada escapa, até para um workshop de Yoga de 3 dias fui convidada a assinar um termo que autorizasse a utilização da minha imagem, seja por vídeos ou fotos feitas, ainda estou em choque...uma prática milenar, que promove a instrospecção, o auto conhecimento, algo extremamente público, ao meu ver claro, talvez Patanjali e outros mestres não se importassem mas eu confesso que estou incomodada e que não acredito no rumo que a vida está tomando, no quanto estamos viciados nessa tecnologia, doentes e tão distantes da nossa essência e escravos dos likes e do excesso de exposição que ao meu ver agrega muito pouco
 

09/06/2017

À paulistana: Os meus achados da Pça da República

É incrível o que um intervalo entre um compromisso e outro e um pouco de boa vontade para flanar sem rumo pode fazer por nossas almas, pelo menos pela minha. Adoro caminhar, há qualquer dia, qualquer hora e qualquer lugar e pelo centro de São Paulo sou sempre muito bem recompensada, encontro verdadeiros tesouros, não perdemos nada para outras grandes cidades.

Galeria Olido
Um verdadeiro complexo de artes e outras atividades, cinema, espaço de dança, sala de leitura, espaço circo e uma unidade da Fablab onde se pode realizar qualquer projeto de marcenaria e impressão 3D e é gratuíto!

Na Barão de Itapetininga tem a organizadíssima Livraria Francesa, escondida na galeria de um prédio, uma verdadeira viagem com seus inúmeros títulos e funcionários educados

Padaria francesa no térreo do Edifício Esther, recém inaugurada, linda, assinada pelo chefe Olivier Anguier, um ótimo lugar para uma pausa café e para contemplar a Pça da República e o vai e vem na calçada
Mundo Pão do Olivier
Rua 7 de Abril, 425 – Loja 1 

Segui pela Rua Sete de abril e como já eram mais de 10:00 da manhã acabei encontrando uma placa imensa em frente a um prédio indicando uma Adega, fui conferir e não me arrependi, pé direito alto, lustre lindo, piso de madeira e mesinhas dispostas para sentar e degustar um bom vinho, não a essa hora claro, mas pretendo voltar
Piso Térreo Loja B1, R. Sete de Abril, 264 - República (não abre aos fins de semana)























Um pouco mais a frente encontramos uma tenda enorme com uma Feira do Livros instalada nela, diversos títulos para adultos e crianças com preços muito acessíveis





















E para quem como eu ama uma biblioteca, vale a passada da Biblioteca Mario Andrade, para simplesmente sentar em uma mesa no pátio ou consultar o acervo, normalmente tem Wifi livre e muita gente por ali, com sorte dessa vez consegui sentar no pátio com vista para a Xavier de Toledo




















 






















 

27/05/2017

Lugares secretos em Paris: Cite du Figuer

Organizando as fotos da última escapada para Paris percebo quantas coisas somos capazes de fazer por aí, com uma dose extra de curiosidade e claro expulsando aquela vontade enorme de se jogar em uma varanda de café e ver a vida passar, seria ótimo, mas, ainda não tenho maturidade o suficiente para isso.
Por qui gostamos muito daqueles cantinhos que fogem aos guias comuns, cheios de cor e de detalhes, se possível em meio a rotina diária 

Cite du Figuer: Uma pequena rua sem saída, tranquila, no coração do 11ºarrods. Algumas casas lembram pequenos galpões e pesquisando encontrei que foram a oficinas e residências dos trabalhadores que trabalhavam e viviam por ali
104-106 Rue Oberkampf - 75011 Paris

 
 
 
 
 







16/05/2017

Gente que inspira

Com certeza #comonaoamaressacidade é a minha frase preferida quando me refiro a São Paulo
O artigo a seguir encontrei na revista do Sesc adquirida (gratuitamente) em uma das minhas muitas andanças por aí e acredito que vale a leitura para que possamos buscar um novo olhar para viver nessa cidade de uma forma mais inteira e amorosa
"a “busca pela natureza” é uma falsa busca, é criar a perspectiva ou a ilusão de que a cidade e o homem não são parte da natureza, e sim opostos a ela, e que só é possível sermos felizes se fugirmos da cidade. Todo esse discurso é travestido de uma profunda ideologia que leva a ideia de consumidor ao seu limite último." Ana Fani Alessandri Carlos


20/03/2017

As delícias de um outono

Época do ano muito aguardada por aqui,  temperaturas mais amenas, caneca de chá ou um café nas mãos, tem também ano novo astrológico, solstício de outono com dia e noite durando o mesmo período no mundo todo, ano novo astrológico, ufa! Tantas informações...mas o que importa mesmo são os dias mais frios que favorecem o recolhimento, a introspecção, assim podemos preparar o solo para as mudanças tão necessárias e tão difíceis de serem iniciadas. Como anda a sua prática diária? O que você faz para se sentir conectado, cheio de energia?